30 anos da Fazenda em Coroatá/MA

É com muita alegria que no dia 6 de agosto aconteceu na Fazenda Santo Agostinho, em Coroatá no Maranhão a celebração de 30 anos dessa que foi a segunda unidade da Fazenda da Esperança.

A história dessa Fazenda começa em 1985, quando a Fazenda da Esperança já existia em Guaratinguetá/SP, com algumas casas. E neste ano, padre Paulo Stapel, que é irmão de frei Hans, veio para o Brasil a convite do bispo Dom Reinaldo Pünder, na diocese de Coroatá no Maranhão.

Padre Paulo conhecendo mais a realidade da comunidade local junto com seu bispo em 1987, pediram a frei Hans que abrisse uma Fazenda da Esperança na região. Essa seria a segunda unidade da Fazenda, que também acolheria pessoas carentes de ajuda com a dependência química.

Este pedido deu início à primeira missão de abertura de Fazenda, e Nelson foi o responsável pelo grupo que iria para Coroatá. Uma viagem que gerou muitos frutos, em sua passagem por Lagarto/SE, os jovens se apresentaram em um encontro de jovens e Luci (tia de Nelson) se sentiu tocada pelas experiências e deixou tudo, seu trabalho e família, para dar início junto de Iraci a Fazenda feminina em Guaratinguetá/SP.

A viagem continuou cheia de surpresas e atos de amor, pessoas que se sentiam tocadas pela experiência desses jovens colaboravam como podiam, dando abrigo e comida. Assim, eles chegaram a Coroatá, muito felizes e dispostos a superar as dificuldades que um início de Fazenda exige. Nelson conta: “…chegamos a Coroatá para viver os primeiros tempos desta nova Fazenda da Esperança, numa casa de pau a pique, tendo que buscar água a dois quilómetros de distância, mas felizes por dar início à primeira de tantas viagens missionárias, cheia de frutos e aventuras.”

Iniciado as atividades da Fazenda em Coroatá, padre Paulo ficou como responsável da unidade por 15 anos. Mas, além disso, esta Obra foi intermédio de outros trabalhos, que se estenderam para outras necessidades dessa região. Por exemplo, grupos de médicos vieram atender pessoas carentes, creches , também a unidade feminina da Fazenda e o cultivo de acerola como fonte de renda para a comunidade que sofria com a falta de emprego.

Padre Paulo conta em depoimento: “Quinze anos passaram rápido e o meu bispo me chamou de volta a Alemanha. Foi a maior cruz da minha vida. Eu nunca havia pensado nisso. Mas a obediência também é uma coisa importante. Foi verdadeiramente uma cruz muito pesada. Mas depois cheguei a Alemanha e aqui também foi crescendo e hoje eu sei por que eu precisava voltar. Aqui faltava uma pessoa para acompanhar as Fazendas, e hoje já são sete comunidades… Tudo isso aconteceu porque quando você faz a vontade de Deus, Deus faz Sua parte. Toda notícia que ouço de Coroatá me dá alegria. Uma parte do meu coração ainda esta até hoje lá.”

A Fazenda da Esperança em Coroatá continua gerando muitos frutos, após o início dado por padre Paulo. Padre Anderson também esteve como responsável por essa unidade, onde deu continuidade a este trabalho, após cinco anos foi transferido para Manaus/AM onde está atualmente. Então, padre José Luiz Menezes assumiu a Fazenda por 10 anos, até o ano de 2016 quando foi eleito presidente da Fazenda da Esperança.

Esta unidade em Coroatá tem grande importância missionária, muitos dos responsáveis da nossa comunidade tiveram sua formação, neste importante polo de acolhida no nordeste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *