Diário dos jovens da EMI

Os jovens da Escola Missionária internacional contam em seu diário as experiências vividas na Alemanha, onde estão atualmente.

14/06 Começamos este dia com a missa sendo celebrada logo após o café da manhã, pois tivemos em nossa agenda uma saída para conhecermos o campo de concentração de Sachsenhausen na cidade de Oranienburg. É o segundo campo de concentração que conhecemos; o primeiro havia sido Dachau.

Mais uma vez nos deparamos com a realidade triste da humanidade quando se leva em conta a perda de limite de suas ações para com o seu semelhante. Inaceitáveis as condições que a guerra impõe à vida daqueles que, subjulgados, perdem a sua liberdade e se veem desamparados de qualquer forma de justiça, ficando à mercê dos interesses de pessoas inescrupulosas. Tantas atrocidades, tantos locais marcados pelos piores traços do ser humano foram o que colocou-nos todos a refletir profundamente sobre a graça de hoje termos a liberdade que outrora, para a maioria de nós, a droga havia roubado. “Fomos também nós capazes de atitudes impensáveis contra o nosso semelhante ou mesmo contra nós mesmos?” Essa pergunta caminhou conosco durante o dia.

Tivemos como nosso guia Kleberson, o responsável pela Fazenda em que estamos alojados, que nos contou inúmeros aspectos da guerra e da própria Alemanha da época.

Foi um momento bastante intenso, saímos dele pensativos e gratos por sermos hoje anunciadores dos milagres que Deus fez e tem feito em nossas vidas. Tentamos ser referência de paz, de livre escolha, de luz e felicidade para quem encontramos.

15/06 Logo pela manhã nós reunimos todos à capela, após o café, onde rezamos o terço e tivemos a meditação da palavra de vida feita por Pe. Franz.

Demos continuidade ao dia realizando tarefas na Fazenda em setores variados: cozinha, limpeza, harmonia externa, lavagem de roupa, etc.

Após o almoço, todos fomos conhecer a capital alemã, Berlim, que nos foi apresentada por Pe. Mathias, e onde assistimos à uma missa campal

“Corpus Christi”.

Fizemos nosso deslocamento de ônibus e trem até a capital de um dos países dá comunidade europeia e lá chegando, Pe. Mathias nos recebeu e nos contou histórias do tempo em que a cidade era separada pelo muro que dividia o lado oriental, socialista, russo, do lado ocidental, capitalista, americano, inglês e francês. Contou-nos histórias pessoais de seus familiares que se viram separados do dia para a noite, do processo das fugas bem e mal sucedidas e também todo o processo de derrocada do poder soviético, da queda do muro e da reconstrução de uma nova Alemanha. Foram momentos de extrema riqueza e conhecimento.

Conhecemos o parlamento, o portão de Brandenburg, algumas embaixadas, um monumento ao holocausto, uma faixa do muro que ainda permanece originalmente de pé, museus, casas de concerto onde tocam as filarmônicas, faculdades, academias de ciências e tudo o mais que uma capital tecnológica pode oferecer.

Ao final da tarde participamos da missa e de um churrasco oferecido pela diocese local. Vale a pena dizer que enorme número de padres, inclusive ortodoxos e também bispos participaram da missa realizando uma procissão ao final da celebração. Utilizamos o momento para interagirmos dizendo quem somos e o que fazemos na Europa; convidamos pessoas para conhecerem a Fazenda e nossa realidade.

Voltamos para a Fazenda contentes com o efeito que teve o feito de conhecermos uma das capitais mais importantes do mundo.

16/06 Hoje, rezamos o terço, fizemos a meditação da palavra de vida pela manhã e damos sequência aos serviços da Fazenda que aos poucos está sendo preparada para a festa de São Francisco na próxima semana.

Para a nossa grata surpresa, Frei Hans e Nelson retornaram da viagem que fizeram à Angola, onde nova Fazenda foi aberta e também a Portugal cuja a Fazenda recebeu a visita dos fundadores e outros responsáveis de Fazenda.

No período da tarde saímos juntos em visita à cidade de Potsdom para conhecer o castelo de Sanssouci, do imperador Frederico (por quem os alemães ganharam a fama de “comedores de batatas”). Um lugar que possui um imenso e belo jardim repleto de parreiras, escultura e chafarizes em que se encontra o túmulo do imperador. Conhecemos também a igreja da cidade e um pouco de seu comércio.

Nelson aproveitou a ocasião para conversar com alguns missionários acerca de seus discernimentos vocacionais.

De volta a Fazenda tivemos a missa celebrada por Frei Hans na qual pedimos pela melhora de Evilázio que passou por segunda cirurgia de coluna hoje.

Alguns grupos já saíram hoje para fazer visitas à comunidade e reconhecem a partilham o valor desses momentos em que podem falar sobre mudança de vida e o carisma da Fazenda.

17/06 Começamos o dia com a oração do terço e a meditação da palavra feitos logo após o café da manhã e então fomos divididos em grupos para fazermos a ” harmonia geral” da Fazenda. Estes momentos em equipes de trabalho são de grande utilidade para os missionários que têm a chance de partilhar suas experiências pessoais sobre a missão é também fazerem unidade com os internos da Fazenda.

Depois da pausa para o almoço, nos reunimos no salão em que estamos acostumados a fazer nossas refeições para um momento com Nelson e Frei Hans que nos mostraram, em detalhes, sua visita à África. Fica claro que Deus se manifesta grandemente em nossa obra tendo em vista os acontecimentos sucedidos e as providências conseguidas durante essa viagem.

Alguns grupos após essa ocasião, saíram para fazer visitas às paróquias da comunidade enquanto aqueles que ficaram assistiram à missa e depois participaram das adoração.

Num ambiente de felicidade e plenos da graça de Deus nos preparamos para o dia agitado que todos teremos amanhã.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *